Cobra do Egito

Classificação Científica

Reino

Animalia

Filo

Chordata

Classe

Reptilia

Ordem

Squamata

Família

Elapidae

Descrição

A Cobra Egípcia (Naja Haje) é uma cobra venenosa encontrada na África e na Península Arábica.

 

Pode crescer entre 1,5 e 2,4 m de comprimento. As características mais reconhecíveis numa cobra egípcia são a sua cabeça e capuz. A cabeça é grande e deprimida com um focinho largo. Os olhos da cobra são grandes com uma pupila redonda. A sua garganta pode variar de 15 a 18 centímetros de largura. A cor é variável, mas a maioria das amostras são algumas tonalidades de marrom, muitas vezes com manchas mais claras ou mais escuras, e muitas vezes uma “gota” marca abaixo do olho. As amostras do noroeste da África (Marrocos, Saara Ocidental) são quase inteiramente pretos.

 

A cobra egípcia normalmente faz a sua casa em savanas secas a húmidas e nas regiões semi-desérticas com pelo menos um pouco de água e vegetação (nunca em regiões desérticas). A cobra também pode ser encontrada em oásis, motivos agrícolas, morros com vegetação esparsa, e gramados. Essas cobras não têm medo dos seres humanos e, muitas vezes entram nas casas. Elas são atraídas para as aldeias por galinhas e ratos que são atraídos pelo lixo. Há também relatos de cobras egípcias nadar no mar Mediterrâneo.

 

Esta cobra é terrestre e nocturna na selva, embora em cativeiro elas parecem tender para diurnalidade. Pode, no entanto, ser vista sob o sol, por vezes, no início da manhã. Ela mostra uma preferência por um lar permanente como tocas abandonados por um animal, cupinzeiros ou afloramentos de rocha e outros, às vezes entra habitações humanas para caçar aves domésticas. Ela geralmente tenta fugir quando abordada, pelo menos por alguns metros, mas se ameaçada ela assume a postura erecta típica, com a capa ampliada. Esta cobra tem como presas pequenos mamíferos, lagartos, sapos, cobras e outros.

 

A quantidade média de veneno atinge normalmente 175-200 mg numa única mordida. É a quarta espécie de cobra mais venenosa. Tem um veneno neurotóxicos que afecta o sistema nervoso, interrompendo os sinais nervosos sejam transmitidos para os músculos e em fases posteriores parando os que foram transmitidos para o coração e os pulmões, assim, causando a morte devido à completa falha respiratória. O envenenamento provoca dor local, inchaço grave, equimose, bolhas, necrose e efeitos variados não-específicas que podem incluir dores de cabeça, náuseas, vômitos, dor abdominal, diarreia, tonturas, colapso ou convulsões. Esta espécie não cospe veneno.

Curiosidades

A maioria das fontes antigas dizem que Cleópatra e os seus dois assistentes cometeram suicídio por terem sido mordidos por um Aspis, que se traduz em Inglês como “ASP”. A cobra teria sido contrabandeadas para o seu quarto numa cesta de figos. Plutarco escreveu que ela realizou experiências em prisioneiros condenados e descobriu que o veneno de aspis é o mais indolor de todos os venenos mortais. Esta Aspis foi provavelmente a cobra egípcia. No entanto, os mitos do seu aparente suicídio têm sido questionada, uma vez que a morte por este veneno de cobra é relativamente lento, e a serpente é grande, por isso seria difícil de esconder.